Pastoral

Senhor Maravilhoso

29 Capa Outubro“Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (1João 4.19).

Você lembra daquela brincadeira de antigamente? Quantas vezes eu – bem como tantos outros jovens apaixonados – fiquei arrancando as pétalas brancas da margarida: “Bem-me-quer... malmequer... bem-me-quer... malmequer...”.

Vamos nos ocupar um pouco com o mais belo: o amor.

Cada pessoa anseia por amor e segurança. Sem amor, a vida é pobre e sem valor. E veja isso: nosso Deus é um Deus de amor! Imagine só: diante dessa maravilhosa constatação, de ser amado como filho do Pai celestial por toda a eternidade, nenhum coração permanece indiferente. Por meio do Senhor Jesus o sol do amor de Deus brilha sobre nós. Visível, palpável, sensível! E cada pessoa que chega ao lar do Pai celestial é envolta pelos acalentadores raios do sol do amor dele.

Por isso: nós amamos porque ele nos amou primeiro. Ele não somente perdoou os nossos pecados. Não apenas nos prometeu uma morada deslumbrante na casa de seu Pai. Mas muito, muito mais! Ele quer que saibamos de uma vez por todas: não somos os seus amados apenas nesse mundo, mas por toda a eternidade! Ele, que por amor a nós suportou as fraquezas de nosso corpo terreno. Que, por amor a nós, tomou sobre si vergonha e opróbrio. Que, por amor a nós, entregou sua vida para morrer na cruz. Que, por amor a nós, derrotou Satanás e suas hostes para sempre. Que, por amor a nós, entregou seu sangue para que tenhamos perdão e paz com Deus para sempre e sempre. Que Senhor maravilhoso! Ele, que nos ama infinitamente! Por que, no entanto, aproveitamos tão pouco do amor de nosso Senhor Jesus? Estamos ocupados com tantas outras coisas ao invés de nos alegrarmos com a certeza de que ele olha para nós com amor e simpatia? Que o seu amor vigia sobre nós? Por que nos preocupamos a ponto de morrer? Por que martirizamos nossa cabeça? Por que ficamos com os olhos feridos de tanto chorar? Por que afligimos nossos pobres nervos com milhares de problemas e receios? Por que não conseguimos ficar fascinados com o fato de que o Senhor Jesus nos ama infinitamente? Agora já! Nesse exato momento. Não importa como está o clima. Não importa como estão as circunstâncias que nos amedrontam. Ficamos impressionados com tanta coisa, menos com o amor de Deus.

Quão rapidamente ficamos exaustos, entristecidos! Seria Deus o culpado? Será que ele distribui o amor de forma diferenciada? Aqui, muito – ali, apenas um pouco? De maneira alguma! Isso tem mais a ver se nós consideramos levianamente a película lubrificante do pecado como sendo uma obra do destino. De que nós preferimos tolerar vidraças de janelas sujas a providenciar uma visão clara de nossa alma.

Lembro-me de um garotinho no jardim de infância. Enquanto a maioria estava atenta, ouvindo uma história emocionante, aquele pirralho ficava se movimentando de um lado para o outro sobre o banco. De nada adiantou exortá-lo. Quando foi perguntado sobre o motivo de seu desconforto, ele respondeu, soluçando: “Eu preciso ir para casa, não lembro mais como é a minha mãe!”.
Para mim esse garotinho deixou um tremendo sermão. Não acontece também conosco, que a imagem de nosso Pai celestial às vezes fica turva ou até obscurecida? Por isso, preocupe-se para que a imagem do Senhor Jesus nunca perca o brilho no seu coração. Seja por causa de preocupações, correria ou trabalho, seja por brigas e atritos ou pela falta de paz. Seja por medos ou por distrações da vida cotidiana. A vida nesse mundo é semelhante à gritaria em uma feira popular. As barracas do Diabo brilham e convidam em todo lugar: “Cheguem mais perto!”.

Não permita que algo venha a interferir entre você e o seu Salvador, podendo obscurecer o brilho do seu amor.

Não permita ser desviado nem seduzido por isso. A Palavra de Deus convida também a você: “Antes, santifiquem Cristo como Senhor em seu coração” (1Pedro 3.15). Assim, não permita que algo venha a interferir entre você e o seu Salvador, podendo obscurecer o brilho do seu amor. E caso aconteça mesmo assim, faça como o garotinho: corra para casa! Jogue-se nos braços do Senhor Jesus. Não descanse antes que a face amorosa dele brilhe novamente com toda a intensidade sobre a sua vida. Até que a visibilidade através da vidraça seja clara e perfeita. Como é bom conhecer o poder purificador do sangue de Jesus! Como é bom saber que o amor de Deus, pela graça dele, proporciona um recomeço.

Não, nada pode nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!

Manfred Paul

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to Twitter

Templo I - Rua Monteiro Soares Filho, 652
Vila Zelina

Templo II - Rua Marechal Malet, 611
Parque Vila Prudente

Horário de atendimento: segunda a sexta das 8h às 17h
contato: (11) 2347-9141